fbpx

Como não perder a sanidade mental em isolamento

Existem vários motivos pelos quais o isolamento pode tornar-se numa necessidade. Atualmente, estamos a atravessar uma pandemia.

Não importa o local do mundo onde se encontra, foi lhe recomendado, na melhor das hipóteses, que não saia de casa. Na pior das hipóteses, as deslocações desnecessárias tornaram-se proibidas.

Não obstante, existem situações em que o isolamento é uma escolha. Como por exemplo, quando finalmente, decide acabar de escrever o livro que começou há 5 anos, o qual se tornou num peso que não pode simplesmente largar enquanto não concluir.

Quando quer desenvolver uma nova competência, e precisa de estudar a fundo sem distrações.

Ou simplesmente, quando quer deixar de se expor ao condicionamento social, às crenças culturais e às noções preconcebidas do mundo à sua volta, optando antes por passar tempo consigo mesmo, para meditar e descobrir quem você é verdadeiramente.

Independentemente do motivo do seu isolamento, o seu psicológico vai ser afetado, embora dificilmente saiba de que forma se for a sua primeira vez.

Para alguns, o isolamento é uma brincadeira de crianças. Para outras, a falta de contacto humano torna as suas vidas num autêntico inferno.

As revelações durante o isolamento.

Quando se isola, é possível que venha a ter, inesperadamente, várias revelações.

Essas revelações podem ser algo como um novo entendimento sobre questões existenciais, a reposta a alguma pergunta que anda a fazer-se a si mesmo há muito tempo, ou ainda, a descoberta de um novo rumo para a sua vida.

Um acontecimento dessa magnitude não é identificado como a perda da sua sanidade mental, mas sim como o despertar da sua lucidez.

As vantagens secretas.

Estar isolado do resto do mundo tem os seus benefícios. Tais como:

  • Não absorver o negativismo dos seus colegas e de outras pessoas com quem é obrigado a conviver diariamente.
  • Não se expor aos cartazes publicitários que são cada vez mais insidiosos a incentivá-lo a fazer compras desnecessárias.
  • Não permitir que as suas emoções sejam manipuladas ouvindo música melancólica, involuntariamente, quando está num café ou num centro comercial (a tristeza leva ao consumismo).

Contudo, para desfrutar dos benefícios do isolamento, tem de cuidar dos seus hábitos, apesar de estar em casa.

Embora não esteja exposto ao condicionamento social, se passar o seu tempo a ver filmes, séries, e a consumir entretenimento pré-fabricado para moldar as suas crenças, vai dar exatamente ao mesmo, talvez até seja pior.

A falta de contacto com o mundo lá fora torna fácil criar conceitos e ideias da realidade completamente disparatados.

Comportamentos para não enlouquecer.

Voltando à questão da saúde mental, se não a quer perder, precisa de planear os seus dias. Nem tão pouco importa o motivo pelo qual está em isolamento.

Tudo vai depender das suas rotinas. Se fizer apenas aquilo que a sua vontade lhe dita, entrará rapidamente em declínio.

Quanto mais tempo for escravo dos seus impulsos, mais fundo se enterra num local escuro e frio. Um local onde não existe esperança e onde nunca se pensa no futuro.

Durante o isolamento, os seguintes comportamentos serão a sua salvação.

Faça alguma forma de exercício físico.

O exercício físico é fundamental, sempre, e não apenas durante os períodos de isolamento. Se não tem o hábito de praticar exercício, está na altura de começar.

Felizmente, não precisa de sair de casa para o praticar, ao contrário daquilo que possa pensar. Se não sabe o que fazer. Existem vídeos no Youtube que o ensinam a fazer exercício apenas com o peso do seu corpo, sem recorrer a qualquer máquina ou acessório.

Num estudo publicado no National Center for Biotechnology Information, é referido que existem evidencias significativas de que o exercício físico cria novas células cerebrais, melhorando assim a capacidade do seu cérebro.

Se isto não for o suficiente para o convencer a exercitar-se, saiba que num artigo sobre a prática de exercício físico publicado no site da Walden University, são apontados como benefícios, a ajuda no combate à depressão e à ansiedade, a redução do stress, o aumento da autoestima e da autoconfiança, entre outros.

Num estudo publicado no Harvard Medical School, foram comparados a pressão sanguínea e o colesterol, assim como outros medidores de saúde cardiovascular, entre praticantes de caminhada, nadadores, corredores, e pessoas sedentárias.

Os nadadores e os corredores obtiveram os melhores resultados.

Como serão poucas as pessoas a ter à sua disposição uma piscina interior na qual possam praticar natação, resta a corrida numa passadeira, as quais são bastante acessíveis hoje em dia.

Se não gosta ou não pode correr, pode substituir essa prática pela bicicleta estática ou pela elíptica. Pode encomendar uma facilmente pela internet. Existem modelos para todas as carteiras e práticos de guardar em casa.

Com uma máquina de exercícios cardiovasculares e alguns halteres, conseguirá manter-se ativo fisicamente.

Se tem dúvidas sobre a prática de exercícios cardiovasculares e sobre o levantamento de pesos, nada como desfrutar dos privilégios tecnológicos do século XXI.

Mais uma vez, no Youtube existem vários exemplos de exercícios, treinos, aquecimentos e alongamentos, com demonstrações das posturas corretas.

Se está a começar do zero, comece por dedicar algum tempo a aprender, estudando, antes de investir o seu dinheiro ou antes de fazer qualquer esforço para não se lesionar.

Aprenda a fazer um aquecimento, a alongar os músculos e a levantar pesos com a postura correta. Essa habilidade ser-lhe-á útil mesmo após o isolamento.

Mantenha o contacto com os seus amigos e a sua família.

Estar em isolamento não significa cortar os laços com amigos e família. É essencial que mantenha alguma forma de contacto com outras pessoas, só não deve estar com elas ao vivo. Telefonemas e videochamadas recomendam-se.

Se o seu objetivo é fazer um retiro espiritual, o contacto à distância não deve ser suficiente para o desestabilizar.

A influência e o condicionamento social que recebe não irá sobrepor-se ao trabalho interno que está a fazer, a não ser que passe o dia todo a fazer videochamadas e telefonemas.

Manter contacto com outras pessoas vai ajudá-lo a não se tornar antissocial e a não criar ideias delirantes.

Somos criaturas sociais e a ausência de contacto humano tem consequências graves para a nossa saúde, não só física como psicologicamente.

Um estudo publicado na American Journal of Epidemiology demonstra que o isolamento social aumenta o risco de morte prematura, de todas as causas!

Tenha uma alimentação saudável.

Nesta ocasião, é mais importante que nunca cuidar da alimentação. Aquilo que come tem um enorme impacto no seu estado de espírito.

Assim que a sua saúde mental começar a definhar devido ao isolamento, uma alimentação saudável e cuidada será um grande trunfo na sua manga.

Um artigo publicado na Harvard Medical School, indica que o campo da psiquiatria nutricional tem encontrado uma grande correlação entre aquilo que comemos, as nossas emoções, e o nosso comportamento.

O artigo propõe fazer a experiência de cortar nos alimentos processados, assim como no açúcar, e observar a forma como se vai sentindo ao longo do tempo.

Posso atestar que já fiz a experiência de eliminar totalmente o açúcar refinado da minha alimentação, e senti um aumento exponencial de energia, foco e concentração.

Dissipou-se também o nevoeiro mental que sentia na altura, o qual se recusava a desaparecer não importa o quão bem dormisse.

Durma o suficiente.

Ter mais tempo livre do que o habitual não é desculpa para não ter horas certas para dormir e para acordar. Para além disso, o confinamento pode dar-lhe a impressão de que todos os dias são sábado, e como tal, pode deitar-se às horas que lhe apetecer.

Uma das maiores mentiras sobre produtividade pessoal, é a de que se dormir menos, será mais produtivo devido aos seus dias se tornarem, ilusoriamente, maiores.

Ilusoriamente, porque embora fique mais horas acordado, rapidamente ficará com nevoeiro mental, diminuindo assim a sua eficiência. Será incapaz de aproveitar os seus dias.

Parado em casa, torna-se muito fácil desestabilizar os horários do sono e não dormir o suficiente. Já la vão os tempos em que eu próprio acreditava que dormir era um desperdício de tempo.

Diversos estudos referidos num artigo da Hult International Business School apontam que não dormir o suficiente, leva à diminuição da performance e da produtividade.

As pesquisas confirmam-no, descontar horas de sono na tentativa de ser mais produtivo causa justamente o efeito contrário. Já observei que as fases em que durmo menos, são as fases em que tenho mais bloqueios criativos.

Estar fechado muito tempo em casa já é propicio a criar alucinações e devaneios, estar fechado e não dormir torna tudo muito pior.

Por amor de Deus leia!

Vivemos numa era em que os hábitos de leitura deixaram de ser valorizados. A sociedade presente esqueceu-se de como são fundamentais para o aprimoramento da nossa inteligência e o alargamento dos nossos horizontes.

Tornou-se numa prática comum as pessoas queixarem-se de falta de tempo para esse género de atividades. Apesar disso, conseguem tempo para ver filmes, séries, e para estar nos ambientes mais tóxicos que existem na internet – as redes sociais.

Se está fechado em casa, leia! Encomende livros, leia um policial, leia um romance, leia um livro de filosofia, leia qualquer coisa, mas leia!

Precisa de motivos para ler? Ler melhora substancialmente o seu intelecto, ajuda-o a desenvolver perspectivas, e ainda, a formar uma visão clara sobre diversos assuntos. Abre os seus horizontes como se viajasse, até porque no fundo, a leitura, é uma viajem. Se não tem hábitos de leitura, comece com 15 minutos por dia obrigatórios.

Prometo-lhe que a sua vida vai mudar.

Bónus: As duas grandes revelações da sua vida.

Estes foram os 5 comportamentos a adotar para manter a sua sanidade mental, durante um período de isolamento. Para ser sincero, estes hábitos deveriam de ser regras inquebráveis nas nossas vidas, pois são, na minha opinião, as fundações do nosso bem-estar.

Mas, tornam-se ainda mais importantes quando estamos isolados da maior parte do mundo, quer esse isolamento seja obrigatório, quer seja voluntário.

O distanciamento grupal traz-lhe a vantagem de não se expor ao condicionamento social. Criam-se assim as condições para que tenha duas grandes revelações, se aproveitar para pensar sobre as mesmas:

Revelação nº 1.

A escolha de um propósito de vida.

Esta é uma boa altura para meditar e escolher um propósito de vida, se não o tiver feito já. A calmaria à sua volta, acrescido à ausência de influências externas, ajudam-no a ter clareza. A sua própria clareza e não a dos outros.

Um propósito de vida não precisa de ser definitivo. Precisa sim de ser algo que concede significado à sua vida.

Aquilo que o fascinava quando era criança é um bom indicador. Ainda assim, o seu propósito de vida pode ser uma escolha sua. Qualquer coisa na qual coloque empenho regular, livremente, torna-se num propósito de vida no longo prazo.

Neste blog encontra-se o artigo mais extenso e completo escrito em português sobre como criar um propósito de vida, pode lê-lo aqui.

Revelação nº 2.

Aproveite para entender quem você é verdadeiramente.

“Entenda primeiro quem você é verdadeiramente, agora, para ter o poder de mudar e de se transformar em quem deseja realmente ser.

Está numa situação em que vai passar muito tempo consigo mesmo. Ainda que outras pessoas possam viver consigo, você é sempre a pessoa com quem passa mais tempo.

As suas rotinas mudam, o que faz com que crie novos comportamentos. Quando cria novos comportamentos, descobre mais um pouco sobre si mesmo.

Esta é a oportunidade para abrir algumas das portas do seu âmago que estiveram fechadas até à data. Espreite lá para dentro, ganhe coragem para dar mais um ou dois passos, até poder embrenhar-se mais a fundo e conhecer-se a si mesmo.

Pode não gostar de o fazer. Mas não importa. O objetivo não é ter prazer. Vai encontrar coisas de que não gosta em si que desconhecia. É infalível. Não obstante, vai também descobrir dons, talentos escondidos, ou até o seu genuíno propósito de vida.

Tem de estar disposto a ouvir. Sem julgar. Com uma mente clara e limpa. Sem interpretações através de filtros e sem noções preconcebidas.

A ideia é mesmo desfrutar da situação em que está, propícia a levantar esses filtros e paradigmas com os quais interpretava tudo à sua volta.

E porquê conhecer-se a si mesmo? Ou entender-se melhor? Porque você quer ter a melhor vida possível, quer tomar as decisões que o ajudam a alcançar aquilo que você quer verdadeiramente.

É muito provável que tenha tomado decisões baseadas nos filtros que os seus amigos, a sua família e o resto da sociedade lhe incutiram. Por essa razão, os resultados dessas decisões causaram-lhe infelicidade.

As escolhas que faz baseadas numa visão que não a sua, provocam resultados que o fazem sentir-se incompleto. Algo falta quando executa o plano de outros, esse algo, é você mesmo.

O isolamento social temporário dá-lhe condições para examinar a sua mente, o seu espírito despido. Encontrará os seus demónios, prepare-se para o horror da mesma forma. Mas tenha sempre em mente que ao passar por ele, estará no caminho para o paraíso.

Gostou deste artigo? Quais os seus hábitos em isolamento?

Deixe um comentário

Mulher a tapar os olhos fazendo uso da intuição

Como ouvir a sua intuição

Quem é que nunca se viu confrontado com a dicotomia de seguir a intuição, ou o raciocínio lógico? Com a quantidade de decisões que precisamos

Ás de paus

Descubra a sua vantagem injusta

Cada um de nós tem uma inclinação para fazer alguma coisa muito melhor do que outros, apesar de muitas vezes, esta ser uma habilidade escondida. Se for

Caveira dentro de um prato com esmolas no chão

10 atitudes que o mantêm pobre

Ninguém gosta de ser pobre, ainda que algumas pessoas tentem convencer-se do contrário. Ser pobre, neste contexto, não significa apenas viver na miséria, mas principalmente

José Lança

José Lança

José Lança é o criador do blog Desbloqueie-se, onde milhares de pessoas espalhadas pelos quatros canto do mundo já foram procurar inspiração para os seus desafios. Dedica o seu tempo à escrita de não ficção, explorando temas que abrangem desde o desenvolvimento pessoal ao condicionamento social, passando por tudo aquilo que tem impacto na produtividade pessoal de cada indivíduo. Acredita que o seu propósito de vida é atingir a maestria num único campo, ao longo de toda a sua vida.
error: Content is protected !!