Como parar de procrastinar

Pessoa deitada numa espreguiçadeira

Se ainda resta alguma dúvida sobre o significado desta palavra, podemos resumi-lo afirmando que a procrastinação, é o ato de adiar aquilo que tem a fazer, no momento em que deveria de começar a fazê-lo.  

Reconhece este comportamento? Não se preocupe, todos nós procrastinamos, eu inclusive. 

O termo “procrastinação” nunca foi tão popular como hoje em dia. Ainda me lembro de uma altura em que quando adiávamos os nossos afazeres, eramos simplesmente apelidados de preguiçosos. 

O que a ciência nos diz.

Na minha pesquisa sobre procrastinação, encontrei um estudo publicado pela Psychological Science que correlaciona a impulsividade e a procrastinação. Este estudo afirma ainda que a procrastinação é hereditária e genética. 

Consigo antever muitas pessoas a usarem a sua suposta herança genética como desculpa para procrastinar. Para que você não se torne numa dessas pessoas, leia com muita atenção os próximos dois parágrafos. 

Você, a pessoa comum, não tem maneira de saber se procrastina por motivos genéticos, ou se por falta de autodisciplina. Não existem testes acessíveis ao público para descobrir se é um procrastinador inato.  

Por esse motivo, se começar a acreditar que a sua procrastinação é hereditária, usará isso como desculpa para nunca mais se esforçar e vai destruir todos os seus sonhos. Chegará aos seus últimos dias de vida sem nunca se ter tornado naquilo que poderia ter sido.  

Percebeu?  

Noutro estudo, também publicado pela Psychological Science, foi descoberto que o cérebro dos procrastinadores difere do dos “fazedores”, e que os procrastinadores sentem mais ansiedade em relação ao resultado que pretendem atingir. Por outras palavras, são mais inseguros. 

Num artigo da Forbes onde também é feito referência a esse estudo, é ainda mencionado, e muito bem, que lá por existir uma diferença observável entre o cérbero de um procrastinador e o de um “fazedor”, tal não significa que o comportamento associado a essa diferença seja imutável, pois graças à grande plasticidade do cérebro este cria facilmente novas conexões.

Agora que esclarecemos esta parte, vamos observar melhor como acontece a procrastinação. 

Como se desenrola a procrastinação. 

Imaginemos que tem uma garagem na sua casa, e que esta tem servido nos últimos anos como armazém de tralha que deveria de estar no lixo, mas que por algum motivo resolveu guardar, não fosse você necessitar de um estendal extra no futuro, ou da coleção de revistas da TV Guia dos anos 90. 

Como começa a ganhar consciência de que a sua garagem pode ter uma utilização muito mais proveitosa, como por exemplo, um espaço recreativo para convidar os seus amigos, ou até quem sabe, e perdoe-me a excentricidade, guardar lá um carro, resolve marcar um dia na sua agenda para a arrumar e livrar-se de tudo o que está apenas a ocupar espaço. 

Os pequenos deslizes. 

A visão mental da sua garagem limpa, arrumada e organizada dá-lhe um excelente incentivo. Chega o dia da semana que planeou para meter mãos à obra, mas antes de começar, resolve sentar-se no computador e pesquisar sobre como arrumar e organizar um espaço. 

Após visualizar alguns vídeos no Youtube, ganha uma maior sensibilidade sobre como estruturar um bom ambiente na sua garagem. O tempo que passou a ver os vídeos foi tempo bem gasto! 

Como já foi produtivo (na sua cabeça), resolve fazer uma pausa na arrumação que não está realmente a fazer, e recompensar-se com uns vídeos de Epic Fails. Quando dá por si, começa a ouvir o seu estomago a roncar, e apercebe-se de que está na hora do almoço. 

Após almoçar, decide ir tomar um café rápido, pois sabe que este vai ajudá-lo a ser “ainda mais” produtivo assim que voltar. Só existe um pequeno contratempo que é ter encontrado um amigo seu com quem não fala desde a semana passada. 

Mas não tem qualquer problema! Pois tirou o dia todo e a tarde ainda é uma criança. Há tempo suficiente para meter a conversa em dia, nada que ocupe mais do que umas meras 2 horas, e ainda voltar a tempo de fazer alguma coisa. 

Assim que regressa a casa, começa a sentir uma espécie de moleza. O que é que isso significa? Que dormir uma pequena sesta só lhe vai dar mais energia para deixar a sua garagem impecável! 

A negação. 

Quando chega ao fim do dia e percebe que a sua garagem está exatamente na mesma, passa a fazer raciocínios como: 

“Surgiram situações inesperadas, não arrumei a garagem mas a culpa não foi minha” 

Ninguém é imune à procrastinação. 

Todos nós já passámos por um ciclo deste género. A maioria de nós acaba por se aperceber do que está a acontecer e faz uso de força de vontade para realizar as tarefas proteladas. 

Essa força de vontade surge repentinamente quando nos aproximamos do prazo em que é suposto entregarmos um trabalho, ou termos uma tarefa concluída. 

O género de procrastinação mais grave, é aquele que acontece com os objetivos que não têm prazos para serem concluídos, tal como o Tim Urban refere na sua hilariante TEDTalk. 

A minha técnica para não procrastinar nos objetivos de longo prazo. 

Ao longo dos anos, descobri uma artimanha mental para não procrastinar. A técnica que vou partilhar consigo já existe há muito, se bem que a descobri sozinho e por acaso. 

Esta técnica, consiste em enganar-me a mim mesmo para que não sinta qualquer ansiedade de desempenho, e embora a use para trabalhar neste blog e nos meus livros, pode ser utilizada em todos os objetivos de longo prazo.

Definir um bloco de tempo.

Em primeiro lugar, deve definir um bloco de tempo durante o qual não vai fazer exclusivamente mais nada, sem ser trabalhar na sua tarefa. No meu caso, opto por blocos de tempo de 1 hora.

E agora, o ingrediente secreto: 

Antes de começar a trabalhar, pense para consigo mesmo que o resultado final não importa. A qualidade do trabalho que terá produzido não importa, e caso chegue ao fim do seu bloco de tempo e não tenha feito nada, também não importa! 

A única coisa que importa, é que durante o bloco de tempo que definiu, não faça rigorosamente nada que não esteja relacionado com o seu trabalho. 

Usando o meu exemplo, quando escrevo nos meus blocos de tempo de 1 hora, antes de começar, posso eventualmente estar preocupado com a falta de inspiração para escrever

Todavia não faz mal, porque posso sempre fazer pesquisas, ou ficar a pensar o tempo todo durante o meu bloco de tempo sobre novas ideias. 

Pois mesmo que não escreva nada, considero que a tarefa foi bem-sucedida desde que não tenha feito mais nada sem ser tentar escrever alguma coisa durante essa hora.  

Este é o raciocínio que preciso de fazer antes de começar! Se não o fizer posso nem chegar a sentar-me na cadeira! 

E sabe o que é mais incrível no meio disto tudo? 

Nunca, uma única vez, passei os meus blocos de tempo sem escrever nada! Consegui sempre escrever alguma coisa! SEMPRE! 

Ainda assim, preciso de me enganar a mim mesmo com estes pensamentos de forma a sentar-me à frente do computador. Faça o mesmo! 

A procrastinação só acontece fora das rotinas diárias. 

Se usar este sistema de trabalhar em blocos de tempo, e o fizer diariamente para concretizar metas de longo prazo, vai também desenvolver um novo hábito.  

Seja ler 1 hora por dia, trabalhar no seu site 1 hora por dia, ou fazer qualquer coisa relacionada com o seu objetivo, pelo bloco de tempo que definiu. 

Ao longo dos anos desenvolvi o hábito de usar 4 horas por dia, divididas em 4 blocos de 1 hora, para realizar as minhas metas de longo prazo. Estas 4 horas diárias não requerem nenhum esforço da minha parte devido a se terem tornado numa rotina. 

Tal significa que quando procrastino nalguma coisa, é porque é algo que não está incluído em nenhuma das minhas rotinas diárias, e requer um esforço extra da minha parte. 

Se usar a artimanha mental que acabei de lhe ensinar todos os dias, vai acabar por criar uma nova rotina que ficará fora da sua esfera de procrastinação. 

Haverá na mesma procrastinação na sua vida, mas só depois de repetir os seus hábitos automáticos! 

A ferramenta mais completa para acabar com a procrastinação. 

Como pretendo que este artigo seja a sua maior referência sempre que precisar de ajuda para vencer a procrastinação, quero ainda dar-lhe a conhecer aquela que considero a derradeira ferramenta para a concretização de objetivos de longo prazo. 

Se sente que está a adiar os seus sonhos, é possível que estes não estejam bem definidos na sua mente.  

A ferramenta que se segue serve para o ajudar a definir com precisão aquilo que quer conquistar, definir um caminho para lá chegar, e ainda ajudá-lo a descobrir as suas motivações para se manter no caminho. 

A ferramenta S.M.A.R.T. 

Existem duas regras fundamentais quando se marca um objetivo, são elas: 

1 – O objetivo tem de ser estabelecido pela positiva. 

2 – Tem de ser possível para a pessoa que o quer atingir poder iniciar/influenciar a sua concretização. 

Se deseja parar de procrastinar, significa que deseja fazer alguma coisa. É imprescindível que saiba o quê, e que seja o mais específico em relação à mesma. 

Se colocar o seu objetivo de parar de procrastinar pela positiva, fica com algo do género:  

“Quero criar o meu próprio negócio, quero escrever um livro, quero perder 30 kg”. 

A partir daí começa a surgir alguma informação, mas não se engane! Colocar o objetivo pela positiva é o primeiro passo, mas ainda não é o suficiente. 

Como definir um objetivo S.M.A.R.T.  

O passo seguinte é ser o mais específico possível em relação à sua meta. 

Um dos acrónimos mais famosos no planeamento de objetivos é o acrónimo S.M.A.R.T. Marcar objetivos S.M.A.R.T significa que estes são: específicos (Specific), mensuráveis (Measurable), alcançáveis (Attainable), relevantes (Relevant) e que têm uma data para serem concretizados (Time-based).

Após ter colocado o seu objetivo pela positiva, como por exemplo “escrever um livro”, está na altura de meter em prática a ferramenta S.M.A.R.T. 

Específico (Specific): 

Qual vai ser o tema? Quem são as personagens? Como vai ser o desenrolar da história? O que é que vai acontecer no fim? Quem é que me vai ajudar? Quantas palavras consigo escrever numa semana? Qual vai ser o processador de texto que vou usar?  

Especifique o máximo que puder em relação a todos os aspetos de que se conseguir lembrar. 

Mensurável (Measurable): 

Quantas páginas vai ter o livro? Quantas palavras? Como é que vou saber que acabei de o escrever? Quantos capítulos? Qual o tamanho da capa? O que é que tem de acontecer em concreto na minha realidade para eu saber que o livro está concluído? 

Alcançável (Attainable): 

Quais os recursos, tanto internos como externos, de que disponho para escrever o livro? É possível eu o fazer? Como o vou fazer? Este objetivo é alcançável? 

Relevante (Relevant): 

O que é que me move a querer escrever um livro? Quais são os meus valores? O que é que me inspira neste objetivo? O que é que este objetivo faz de mim? No que é que me torna? Para quê este objetivo? 

Data de concretização (Time-based): 

Quando é que quero acabar de escrever o livro? Quantas páginas vou escrever por semana? Quantas palavras por dia? 

Aplicações da ferramenta S.M.A.R.T.

Esta ferramenta pode ser aplicada a qualquer objetivo, use a sua imaginação consoante a meta que quer alcançar. 

Depois de ter respondido a estas perguntas, vai conseguir uma característica fundamental para o ajudar a vencer a inatividade e a colocá-lo em movimento, vai ganhar clareza! 

Para obter clareza usando a ferramenta que acabou de aprender, é fundamental que escreva o seu objetivo. 

O que é que ganha ao fazê-lo? 

1 – Clareza em relação aos vários aspetos do seu objetivo. 
2 – O caminho para o atingir torna-se percetível. 
3 – Ao ganhar clareza a sua motivação desperta! 

Quer parar de procrastinar? Seja S.M.A.R.T! 

Um pouco de motivação repentina. 

Quando estiver a adiar alguma coisa, lembre-se do seguinte: 

A ansiedade que está a sentir só vai desaparecer quando iniciar a tarefa que está a protelar. 

Use as técnicas que acabou de aprender e acabe com a ansiedade de uma vez por todas. 

Precisa de motivação súbita para começar? Pense na usa vida daqui a 5 anos se continuar a procrastinar demasiado, e pense no que poderá acontecer se não o fizer. 

Se tem os seus próprios truques para não procrastinar, deixe-me sabê-los comentando. 

6
Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Novo Março
Visitante
Novo Março

Um dos meus maiores desafios pessoais: Não procrastinar!!!

Joana Darc
Visitante
Joana Darc

oi!
Eu adorei o texto 🙂 durante uma boa parte da minha vida eu costumava adiar meus projetos, talvez por insegurança. Mas hoje sei que não dá pra viver assim, então parei de v meus sonhos…

Malu Silva
Visitante

Procrastinação é um dos maiores problemas que enfrento no dia a dia! Difícil demais combater, mas torço que com suas dicas isso fique mais fácil.

Celso Afonso Carvalho Júnior
Visitante

Procrastinação é um dos grandes males para os RH’s deste século, gostei da dica vou tentar implementar !!

Vitória Bruscato
Visitante

Em alguns momentos eu costumo procrastinar e acredito que muitas pessoas passam por isso também. Gostei da técnica de separar um bloco de tempo para realizar uma tarefa e não fazer nada que não seja relacionado a tarefa. É uma boa forma de se sentir mais produtivo e de conseguir fazer as coisas acontecerem.

Mulher Virtuosa By Vany
Visitante

Muito interessante esse metodo smart. Goestei das dicas para nao procrastinar. Se a meta é alcançavel e exequível ajuda muito.

Scroll to Top