Quando ser ousado, quando ser cauteloso e quando ser sensato

Homem em cima de um tronco numa cidade

A vida é feita de decisões. A nossa estadia neste mundo é muito breve, e por esse motivo, o conceito da morte está sempre presente na minha mente.

Eventualmente, não estará no mesmo ponto do que eu. No entanto, estou certo de que quer desfrutar da sua experiência enquanto está vivo da melhor maneira possível.

Para que tal aconteça, uma das noções a reter, é que a qualidade das nossas decisões dita a qualidade das nossas vidas. Sendo fundamental aprender a não permitir que o nosso ambiente controle as nossas emoções.

Quando ser ousado, quando ser cauteloso e quando ser sensato? Esta pergunta torna-se particularmente relevante para quem tem ambições na vida.

Começando pela ousadia, a melhor altura para se ser ousado, é na minha opinião quando sabe que é capaz de alcançar mais, de conquistar mais e der ser mais do que aquilo que é.

Existem determinadas alturas em que os seus resultados estão apenas à espera de um ímpeto mais corajoso da sua parte.

Ímpeto esse que requer ações fora da sua zona de conforto. O que causa receio, é o facto de que no momento em que está a ser ousado não tem maneira de saber se está a ser imprudente, mas é mesmo assim que é suposto ser.

Ser ousado é sinónimo de ser corajoso, e agir com coragem, é agir na presença do medo. É agir mesmo quando a possibilidade de obter o desfecho pretendido é escassa.

Ainda assim, mais vale agir e fracassar do que ficar parado e ser assombrado pelo pensamento do que poderia ter acontecido se tivesse agido.

Em caso de dúvida, seja ousado quando o resultado é demasiado importante para se ser cauteloso, e quando o tempo não joga a seu favor.

Quando ser cauteloso.

A ousadia nem sempre é o mais indicado. Por vezes, ser cauteloso pode fazer com que não deite tudo a perder. Jogar pelo seguro é a jogada mais inteligente quando tem várias tentativas. Quando a hipótese de falhar por falta de audácia não acaba com os seus planos.

Aprender a ser cauteloso é lutar contra a tendência para a impulsividade. As nossas finanças pessoais, por exemplo, são uma daquelas áreas onde a cautela raramente é demais, e onde ser-se ousado é quase sempre uma péssima ideia.

Quando é possível medir as consequências e quando estas podem ser demasiado altas para as suportarmos, é altura de sermos cautelosos com as nossas decisões.

Quando ser sensato.

Para entender a diferença entre cautela e sensatez, basta ver a definição de cada uma dessas palavras no dicionário online de português. Como este refere, a cautela é um excesso de cuidado que tem como objetivo prever um mal.

Enquanto que a sensatez é a particularidade de quem é equilibrado e age com bom senso. O que nos leva à pergunta:

O que é bom senso?

O senso comum de uma pessoa pode ser completamente diferente do senso comum de outra.

A melhor forma de se auto avaliar para saber se vai agir com sensatez, é quando sente confiança nas suas decisões, quando sente que pode confiar na sua experiência e na sua intuição.

Na TEDx Talk do investigador Duncan Watts, este menciona a conclusão de um estudo do sociólogo Paul Lazarsfeld, em que afirma que as respostas a uma pergunta são óbvias a toda a gente uma vez que sabem a resposta!

Por vezes, temos controlo no desfecho de uma situação, outras vezes não temos. Às vezes será ousado quando deveria ter sido cauteloso, e outras vezes será excessivamente cauteloso por falta de sensatez.

Será capaz de tomar decisões cada vez mais sensatas à medida que aprende, o que requer que analise os resultados de cada vez que decide ser ousado, pois tal como o filósofo George Santayana disse:

“Aqueles que não se recordam do passado estão condenados a repeti-lo”

George Santayana

Gostou deste artigo? Deixe-me saber a sua opinião nos comentários.

8
Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Anne Ferreira
Visitante

Muito bom! Sempre bom saber como devemos agir em cada momento. Seu post foi demais,com toda certeza foi observar melhor as coisas e pensar mais antes de agir por impulso.

Thamires Kaled
Visitante

Aqui no Brasil utilizam muito o dilema “ousadia e alegria”, mas quase nunca concordo com isso. Acredito que precisamos ser ousados em algumas coisas sim, mas em grande parte cauteloso e sensato. Muitas vezes é difícil ser, e na hora nós somos ousados e impacientes, mas depois é preciso ser sensato e ainda mais cauteloso.

Marília Fiedler
Visitante

Bela reflexão! Com uma rotina frenética cada vez mais estabelecida pela modernidade, creio que muitos de nós têm se deixado levar pelo piloto automático, não reservando tempo para a observação, a reflexão, e o autoconhecimento.
Obrigada por compartilhar seu conhecimento conosco!
Forte abraço!

Mulher Virtuosa By Vany
Visitante

Cada momento exige uma atitude condizente né? Gostei , foi tudo bem claro.

Celso Afonso Carvalho Júnior
Visitante

Uma boa dose de sensatez nunca é demais !!

Denise Amaro
Visitante

Bastante interessante sua reflexão, acho que muita gente deveria ver. E precisamos disso no nosso dia a dia não é? Nos esquecemos as vezes do senso e da cautela e fazemos coisas por vezes que nos arrependemos…
Precisamos nos policiar

Malu Silva
Visitante

Post muito interessante, afinal não dá pra ser uma coisa só o tempo todo! É preciso ter equilibrio e saber como agir em cada situação.

Michelly Melo
Visitante

Oiii!
Adorei o post! Saber equilibrar e fazer a escolha certa faz toda diferença. Não é fácil, mas é algo que merece nossa atenção e dedicação! Faz um bem danado para nossa saúde mental!

Beijos

Scroll to Top