fbpx

A vida é injusta, mas não para si!

Nunca, em toda a minha vida, ouvi alguém dizer que a vida é justa. Curiosamente, também nunca ouvi ninguém afirmar ser privilegiado e que a vida é injusta para as outras pessoas.  

Todas as vezes que ouvi alguém falar acerca das injustiças da vida, foi sempre na perspetiva de quem estava a ser uma vítima das circunstâncias.

No entanto, gostaria com este artigo de lhe mostrar um novo ângulo, e ajudá-lo a entender que apesar de a vida ser injusta, você encontra-se do lado dos afortunados, e não dos desfavorecidos.

Estatística sobre as injustiças no mundo.

Quando pesquisei pela primeira vez sobre a pobreza no mundo, fiquei completamente abismado com o que descobri! Os dados estatísticos que se seguem são apenas alguns dos mais surpreendentes que encontrei no site da Global Issues

Pelo menos 80% da humanidade vive com menos de 10$ por dia. 

80 POR CENTO! São 300 dólares por mês o que dá cerca de 260 euros! Se está nos outros 20%, faz parte de uma elite e nem sabia! 

Perto de um bilião de pessoas entraram no século XXI incapazes de ler ou de assinar o próprio nome

Segundo a Worldometers, no ano 2000 a população mundial era de 6,145,006,989 pessoas, ou seja, pouco mais de 6 biliões. 

Podemos então afirmar que no ano 2000, ano em que saiu o primeiro Toyota Prius e em que o GPS ficou disponível ao público, cerca de uma em cada seis pessoas no mundo era analfabeta! 

1.6 biliões de pessoas, ou seja, um quarto da humanidade vive sem eletricidade. 

Um quarto do planeta Terra vive sem eletricidade. Nada de frigoríficos, micro-ondas, aquecedores, telemóveis, televisões, computadores, NADA! 

Vamos agora falar daquela substância que existe em abundância na sua casa, nos centros comerciais, nas estações de comboios e em qualquer sítio público. A água. Os seguintes dados são da WaterAid

  • 2.3 biliões de pessoas no mundo não têm acesso a instalações sanitárias decentes. 
  • 31% das escolas não têm água potável. 
  • 844 milhões de pessoas não têm acesso a água potável. 

Ainda acha que a vida é injusta para si? 

Você é um privilegiado. 

A não ser que faça parte da estatística de um dos grupos acima, você é um privilegiado. O que o faz distorcer a sua perceção, são as comparações com outras pessoas e a mentalidade de vítima tão comum nos dias de hoje. 

Quando se vê a si próprio como uma vítima, deixa de ter qualquer poder de influenciar os seus resultados. Tudo o que lhe acontece passa ser fruto da sorte ou do azar. Você pode tomar decisões, pode desenvolver a sua criatividade, pode falhar e pode começar de novo.  

As pessoas nos países pobres não só têm um leque de decisões muito mais reduzido, como ainda por cima, mesmo que deem o seu melhor, o máximo que conseguem alcançar é extremamente limitado em comparação com o que qualquer pessoa num país desenvolvido pode atingir, mesmo que tenha origens na pobreza extrema. 

Sim, existem alturas difíceis nas nossas vidas. 

Não quer dizer que a vida seja um mar de rosas para todas as pessoas que vivem em países desenvolvidos. A vida é dura, cheia de obstáculos, caos e imprevistos.  

No entanto, para aqueles de nós que estão incluídos na estatística dos privilegiados, não só existem muito mais possibilidades, como também estamos equipados para lidarmos com os nossos problemas de uma forma que a maior parte dos habitantes do planeta Terra não está! 

Não seja tão sensível, vá atrás dos seus sonhos! 

Não sei o que aconteceu ao longo da sua vida. Quais as tragédias com que o destino o brindou, nem de que forma as suas ações foram limitadas por influências externas. 

Mas sei que os piores momentos da sua vida fazem de si quem você é, e sei também que pode fazer alguma coisa de útil com todas essas experiências. 

Algumas pessoas gostam de se sentir vitimizadas, têm prazer com os sentimentos de autocomiseração e com a atenção que recebem quando fazem dramas. O que não imaginam, é que aquilo que está do outro lado é muito mais compensador e gratificante. 

Sentir que tem o poder de causar mudanças através das suas ações nada tem a ver com as circunstâncias em que se encontra, tem tudo a ver com a sua mentalidade.  

Independentemente de achar a vida injusta ou não, numa coisa estou certo de que vai concordar comigo, que é no facto de esta ser curta. E esse, é motivo suficiente para não perder tempo, fazer o que tem a fazer e assumir a responsabilidade pelos resultados das suas decisões.  

A balança dos privilégios pende para o seu lado, está nas suas mãos usufruir dos seus para construir a vida que deseja.

12 comentários em “A vida é injusta, mas não para si!”

  1. Eita, realmente a vida não é justo e, com certeza, sou uma privilegiada. Além de não fazer parte da maioria, não tenho tragédias na família. Então, bola pra frente que atrás, ao lado e na frente vem gente. Pensamento positivo!

    Responder
  2. Quando estou passando por alguma dificuldade das pesadas (rs) eu tento parar um pouco e pensar exatamente em tudo isso, penso que o problema pode sim ser sério e grave, mas sempre terá alguém em algum lugar com um problema ou condições piores que o meu. Não que alivie, mas acho que com o tempo isso nos faz pensar e enxergar o mundo de outra forma.

    Responder
  3. Quando nos deparamos com números como este que você coletou vemos como somos privilegiados, que apesar das dificuldades nossa vida é muito melhor que a maioria das pessoas ao redor do mundo, mesmo não estando na pequena esfera que engloba a elite mundial.

    Responder
  4. Olá! Achei interessante os dados que você trouxe, mas ao mesmo tempo achei problemática essa visão de que se existem pessoas piores que a gente no mundo, não podemos ficar tristes ou infelizes. E de certa forma, acredito que tais dados só reforçam que a vida é injusta mesmo. Abraços!

    Responder
  5. Uma coisa que agradeço muito é de estar cercada de pessoas que admitem o próprio privilégio e têm total empatia com a injustiça sofrida pelos outros… Porque só enxergando a dor do outro a gente consegue entender a magnitude do problemas de forma ampla, né? É claro que mesmo pessoas privilegiadas sofrem injustiças, todos os dias, mas o negócio é saber pesar na balança o quão mais fácil é superar isso pra uns do que é pra outros…

    Responder
  6. Cara, adorei conhecer conhecer seu blog.
    Muita informação apresentada de uma forma simples e com fontes expostas!
    É inegável a sensação de desconforto em saber que muitas pessoas não tem o mínimo que nós temos. É assustador pensar que todas as pessoas estão por aí em algum lugar e nós não sabíamos, porque nunca tínhamos visto antes. Posts como o seu nos trás um choque de realidade necessário pra fazer com que a nossa bolha espoque diante as diferenças de classe.

    Responder
  7. Sou msmo uma afortunada. Gratidão as dificuldades que a vida me coloca no caminho para que possa superar e tornar-me mais humana ?

    Responder
  8. A vida não é injusta, nós é que andamos de olhos tapados. Os dados que nos são dados diariamente nem para eles olhamos. E depois vimos dizer que a vida é injusta quando a quem não tenha nada.

    Responder

Deixe um comentário

Campa na relva em dia de sol

A morte, este estranho conceito

Nesta data, quando subscreve o blog Desbloqueie-se, recebe um email no qual revelo os três segredos da minha produtividade. Se tivesse de acrescentar um quarto

Homem numa ponte com uma cerveja

10 regras para uma vida miserável

Se levar uma vida gratificante, cheia de realizações pessoais e conquistas não lhe diz muito e quer experimentar o extremo oposto, então este artigo é para

Homem a observar quadros numa galeria

Como lidar com a crítica

Não precisa de muito para ser alvo de críticas. Basta fazer alguma coisa que esteja fora das normas que a sociedade lhe quer impor, ou

Homem a caminhar numa estrada vazia ao anoitecer

Eles querem vê-lo falhar

Já reparou no que acontece quando tenta melhorar alguma área da sua vida? Quer decida começar a ir ao ginásio ou a desenvolver as suas

Pessoa deitada numa espreguiçadeira

Como parar de procrastinar

Se ainda resta alguma dúvida sobre o significado desta palavra, podemos resumi-lo afirmando que a procrastinação, é o ato de adiar aquilo que tem a fazer, no momento

José Lança

José Lança

José Lança é o criador do blog Desbloqueie-se, onde milhares de pessoas espalhadas pelos quatros canto do mundo já foram procurar inspiração para os seus desafios. Dedica o seu tempo à escrita de não ficção, explorando temas que abrangem desde o desenvolvimento pessoal ao condicionamento social, passando por tudo aquilo que tem impacto na produtividade pessoal de cada indivíduo. Acredita que o seu propósito de vida é atingir a maestria num único campo, ao longo de toda a sua vida.
error: Content is protected !!